31.3.16

Imagina que estás a procura de trabalho como empregado de mesa. Imagina que te ligam de um restaurante ao qual te candidataste. Ligam as 9h da manha e perguntam se estas disponível para lá ir. Dizes que sim e espantaste quando te respondem "Então traga já camisa branca e calcas pretas. Para experimentarmos, para vermos como trabalha." ... Estranhas. Pensas em recusar. Afinal de contas é logo mau sinal quando querem que comeces sem sequer falarem contigo em entrevista sobre ti e sobre o restaurante. Sobre o q procuram e o q oferecem... Mas sabes que não são tempos de recusar oportunidades. Aceitas. Vais.
Trabalhas o dia todo e a única informação q te foi dada é q falam contigo, à noite, no fim do trabalho. Pequena pausa à tarde. E segue a trabalhar. Sem saber a que horas acabas. Sem saber condições nenhumas. Ninguém lancha, ninguém janta! O trabalho só pára pelas 2h da manhã... Finalmente falam contigo e numa postura arrogante e discurso de quem não parou de beber desde meio da tarde, dizem-te que tem vários apontamentos a fazer. Enumeram 2 (tão graves como encher demasiado os copos de vinho), e avisam q podiam dar mais 15. Até q te dizem "Mas pronto, estou disposto a dar-te mais oportunidades. Vens outra vez amanha e depois, e vamos ver como corre." ...
Respiras fundo... Fazes de conta que estás de acordo e cordialmente pedes para te falarem das condições, para futuro, caso te aceitem. E é aí que te respondem de forma chateada "Condições?? Eu estou a dizer q te dou mais uma oportunidade e estás-me a perguntar condições??! É dinheiro q queres, é? Então anda cá que eu pago-te o dia e não vens mais!" Enquanto dizes o que pensas, ainda ouves que com a idade q tens seria de esperar mais responsabilidade da tua parte... E ouves ainda que isto te vai ensinar para o futuro...
Isto aconteceu. Hoje, num restaurante do centro do Porto. E quando sabes disto a revolta é tanta que te tira o sono. E sabes que já é a 2a vez que algo do género acontece em 3 meses, embora não tão escandaloso como agora. E percebes que o amor pelo teu país não é correspondido. Amas o teu país mas ele está-se nas tintas para ti. Completamente. Percebes ou confirmas que viver bem no teu país é um luxo ou uma sorte que nem todos podem ter. Porque pessoas assim há em todo lado, mas um país que permite que situações destas aconteçam, não...

No comments:

Post a Comment